Os velhos de hoje são mais jovens do que os de ontem



Um estudo finlandês acabou de comparar populações com trinta anos de diferença. Segundo ela, os idosos de hoje estão em melhor forma intelectual e física do que os da década de 1990.

No início da Idade Média, chegar aos sessenta anos não era comum e, fora das elites da época, o camponês e artesão "de base" podiam ser considerados "velhos" a partir dos quarenta. Não estamos mais lá, é claro, mas este exemplo ilustra o lado relativo - cultural e fisiológico - da velhice. Hoje, claro, preferimos falar de idosos; o termo "velho" tornou-se praticamente um insulto. No entanto, os idosos mudam com o tempo, e essa mudança é mais rápida do que você pensa.

Estamos testemunhando o surgimento de uma categoria social que não existia antes, que chamo de pré-idoso, pessoas na casa dos 60 anos que ganham em juventude. É uma geração que jogou a palavra “velho” fora do vocabulário, simplesmente porque por enquanto não tem intenção de envelhecer. Esta é uma verdadeira novidade, assim como o surgimento, na época, de "adolescentes" que, também, eram uma nova zona demográfica que surgiu em meados do século XX para identificar uma massa de crianças transbordando em corpos de adultos, que então não sabiam onde se colocar ou como se vestir.

O certo é que não são pessoas presas no tempo. Tanto que homens e mulheres por volta dos 60 anos manuseiam computadores como se sempre o tivessem feito.

· Elas conversam por vídeo com seus filhos distantes e até esquecem o telefone antigo quando se trata de se comunicar com amigos, apenas um whatsapp..

· Geralmente estão satisfeitas com seu estado civil e, caso não estejam, não se adaptam, mas o mudam, raramente explodindo em lágrimas sentimentais. Ao contrário dos jovens, esses pré-idosos conhecem e avaliam todos os riscos e não param para se lamentar quando algo deu errado. Eles refletem, tomam nota e seguem em frente.

· Eles compartilham uma certa devoção pela juventude e suas formas superlativas de beleza, mas não se sentem afastados da vida.

· Eles competem de maneiras diferentes, cada um procurando seu próprio estilo.

· Os homens não invejam a aparência física dos campeões esportivos nem a elegância de um maratonista. As mulheres não sonham com a figura esculpida das estrelas da TV.

· Eles sabem a importância de um olhar conhecedor, de uma frase inteligente ou de um sorriso iluminado pela experiência.

Os 60 anos de hoje, mantém seu estilo e exibem uma idade que ainda não tem nome; antes, aos 60 anos você era velho, hoje não é. Hoje estão em forma física e intelectual, lembram-se da juventude sem saudade, porque também a juventude está cheia de quedas e tropeços, e eles sabem disso.

Os 60 anos de hoje celebram o sol todas as manhãs e sorriem para si mesmos muitas vezes por algum motivo secreto que só eles conhecem, como todos os adultos donos da sua própria vida do século XXI.

Eloah Mestieri

Psicanalista clínica especializada no bem-estar do adulto 60+.



Posts recentes

Ver tudo