Buscar
  • Eloah

16-

Atualizado: Jan 10

Fatores mentais e sociais da hipertensão arterial

A psicossomática da hipertensão

No caso da hipertensão, foi cientificamente comprovado repetidamente que o componente psicossocial desempenha um papel importante. Vejamos como como o campo especializado da medicina psicoterapêutica / psicossomática é usado em Hardtwaldklinik II. (Clínica de distúrbios psicogênicos- Alemanha)

Fatores mentais e sociais desempenham um papel importante no desenvolvimento da hipertensão. Medos persistentes, expectativas crônicas, falta de tempo e estresse, desempenham um papel importante. As características dos pacientes afetados, são uma base sobre a qual a doença pode se desenvolver. Por exemplo, uma pessoa super reprimida pode não canalizar adequadamente suas emoções e impulsos e, assim, permanecendo com pressões internas que resultam em forma de sintomas físicos (acúmulo de pulsão agressiva) que levam ao aumento dos estados internos de tensão, que podem desencadear no aumento da pressão arterial.

A forma essencial da hipertensão é baseada principalmente no aumento contínuo dos níveis de atividade do sistema nervoso simpático. Este sistema nervoso está evolutiva e intimamente ligado aos impulsos de luta e fuga. O organismo está em constante prontidão. Isso ocorre apenas no caso da pressão alta arterial não ser mais apropriada à situação real, mas criada no inconsciente.

Em uma situação de conflito, um indivíduo poderia ser inibido pelo controle social, porque a situação o proíbe. O conflito, por assim dizer, se canaliza internamente para se adaptar às estruturas da personalidade apropriada.

A raiva, por sua vez, poderia amplificar possíveis impulsos agressivos, desenvolvendo uma espiral negativa da doença com tendência de piora da hipertensão.

O tratamento médico deve ser combinado com psicoterapia contínua. Alguns pacientes têm uma consciência do conflito. Pode-se dizer que o conflito não é superado em palavras, mas deslocado no corpo para o sintoma de hipertensão. O acesso a isso é alcançado por psicoterapia.

As medidas psicoterapêuticas são principalmente dessensibilizadoras de conflitos.

Terapias individuais e de grupo, orientadas analiticamente, alcançam um efeito terapêutico particularmente efetivo, por atingir níveis inconscientes, perdidos na infância mais remota, já que os processos inconscientes são atemporais.

A participação nos grupos psicoterapêuticos integrativos criativos ou procedimentos individuais, técnicas de relaxamento, muscular e mental, têm um efeito positivo de apoio. A combinação desses métodos mostra um resultado muito melhor do que o uso de procedimentos puramente a base de fármacos.




0 visualização